Articulação para o Monitoramento dos DH no Brasil participa de Agenda de Interlocução e Incidência Política internacional em Direitos Humanos na Suíça    

De 12 a 15 de março, a  Articulação para o Monitoramento dos DH no Brasil, da qual o Processo de Articulação e Diálogo Internacional -Pad faz parte, participa de comitiva de organizações e movimentos da sociedade civil brasileira na Suíça –  uma série de agendas para tratar da situação dos direitos humanos no Brasil junto a órgãos internacionais ligados a ONU, e também a organizações e Igrejas  na Europa.

 

 

Essa agenda conta com ampla participação  da sociedade civil brasileira e é importantíssima no momento de tantos retrocessos e que direitos estão sendo vilipendiados no nosso país. A abordagem será nos temas dos direitos humanos, em especial  no campo dos DhESCA –  com enfoque para a Reforma da Previdência, e o processo de desconstrução dos espaços de participação social no Brasil, no governo Bolsonaro.  

Dois materiais produzidos pelo Pad serão apresentados na agenda:

A Mineração Mata mais uma vez no Brasil

https://medium.com/@padbrazil/a-minera%C3%A7%C3%A3o-mata-mais-uma-vez-no-brasil-bf08dab84037

Bolsonaro desmoraliza o Brasil

https://medium.com/@padbrazil/bolsonaro-desmoraliza-o-brasil-220e48ebed02

Dentre as principais agendas, destacamos algumas atividades importantes que a Articulação participará. No dia 12, terça-feira, integrará um evento paralelo sobre a situação dos direitos humanos no Brasil,  junto às organizações brasileiras: Conectas Direitos Humanos, Terra de Direitos, Artigo 19, Sociedade Maranhense de Direitos Humanos, CIMI, ABGLT e Associação dos Índios Tupinambás da Serra do Padeiro.

Na quarta-feira (13), integrará reunião de trabalho com representantes de igrejas internacionais, com a participação de  membros do Conselho Mundial de Igrejas, a Federação Luterana Internacional e a Aliance ACT, junto ao Conselho Missionário Indigenista – CIMI, a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos -SMDH e  lideranças indígenas. Será discutida  a questão indígena no Brasil, o armamento da sociedade e as consequências para o avanço da violência em diferentes frentes.  Destaque para os crimes de ódio e intolerância, do feminicídio, a das milícias no espaço urbano e rural, e o avanço da extrema direita no campo cristão brasileiro.

Uma reunião conjunta da  sociedade civil brasileira com assessores técnicos das relatorias e procedimentos especiais da ONU, para tratar da realidade dos direitos humanos no Brasil está agendada para o dia 14. Na mesma data, acontecerá reunião com diplomatas da União Europeia – responsáveis pelo tema dos  direitos humanos  na missão da União Europeia em Genebra, e em alguns países membros da União Europeia. 

No dia 15, sexta-feira, haverá reunião da sociedade civil Brasileira com a Alta Comissária das Nações Unidas, Sra. Michelle Bachelet. A realidade dos direitos humanos no Brasil será o tema do encontro. Segundo Enéias da Rosa, secretário executivo da Articulação: esta reunião é muito estratégica para o campo dos direitos humanos no Brasil, no sentido de marcar posicionamento da sociedade civil sobre as ações do atual governo na questão dos direitos humanos em nível nacional e internacional. Rosa afirmou: “A proposta é que se possa manter um canal de diálogo mais ativo com este órgão no próximo período”.

A Articulação participará ainda de duas outras agendas:  uma envolve um ato coordenado por organizações internacionais em protesto por um ano  do assassinato de Marielle e de Anderson, e outro organizado pela Conectas, sobre novos autoritarismos e suas consequências para os direitos humanos e a sociedade civil.

#ComunicaçãoPad