Conjuntura com o foco na análise sobre democracia e violações dos Direitos Humanos

Quais são os cenários e em que medida podemos incidir?

No mês de junho, o Pad — Processo de Articulação e Diálogo Internacional recebeu Carmen Silva*, da S.O.S. Corpo Instituto Feminista para a democracia e Paulo Carbonari** do MNDH — Movimento Nacional de Direitos Humanos, para diálogo sobre análise de conjuntura em encontro com Organizações da Sociedade Civil e Movimentos Sociais que integram os seus Grupos de Trabalho.

Registro gráfico: Mônica Santana

 

Na sua apresentação, Carmen Silva explicou que abordaria quatro aspectos da conjuntura: o ato de fazer análise de conjuntura, o caráter das forças que estão na dominação, a tendência de cenários e possibilidades de estratégias.

Segundo ela, o grande desafio é pensar cenários e possibilidades de incidência. E fazer análise de conjuntura tomando os fatos, mas não se ater apenas a eles. A importância de pensar os fatos que podem afetar a conjuntura, mas também especulando o que há por trás deles, qual a correlação de forças e pra onde tende essa correlação. Esse exercício implica em desenhar cenários futuros, com o objetivo de pensar qual a melhor estratégia para incidência. (…) 

Aprofundando nas análises

A segunda apresentação ficou por conta de Paulo Carbonari, uma análise da realidade à luz dos direitos humanos.

Carbonari pontuou ser importante considerar que os direitos humanos não compõem a retórica da institucionalidade brasileira. Apesar que com a entrada desse governo, não tenham sido desativadas várias normativas que têm relação com direitos humanos. Ele propõe “Colocar um pouco de caldo a mais, olhando para essa realidade com o olhar mais próprio dos direitos humanos”.

Sua fala foi dividida em duas partes: primeira parte com algumas considerações, a segunda com possíveis cenários ou elementos pra gente pensar em possíveis cenários.

Leia cobertura : AQUI!