Parceiros

O PAD – Processo de Articulação e Diálogo Internacional é uma rede formada por agências ecumênicas européias e entidades parceiras no Brasil (movimentos sociais, entidades ecumênicas e organizações não governamentais) que tem como objetivo central promover reflexões e ações experimentais relacionadas aos temas das relações de cooperação, do desenvolvimento, dos bens comuns, da desigualdade e dos direitos humanos.

SARAH ROURE

“O atual momento do Brasil traz novos desafios para a desigualdade. As mudanças em curso desafiam a sociedade civil e reposiciona o papel da solidariedade internacional. É nesse contexto que a cooperação ecumenica tem um papel essencial para o dialogo e as inovações necessárias frente às novas questões emergentes. O PAD tem diante de si o enorme desafio de promover esse diálogo e facilitar uma cooperação ativa entre diferentes atores capaz de promover igualdade”. Sarah Roure – Christian Aid

SONIA G. MOTA

“No contexto de golpe e de perda de direitos que estamos vivendo a missão do PAD se intensifica e amplia o seu caráter multilateral. Ele é a instância estratégica fundamental para intensificar a articulação dos movimentos junto às agências de cooperação, não só ecumênicas, contribuindo para o diálogo e para a realização de ações de incidência tão necessárias para o fortalecimento da democracia no nosso país”. Sônia G. Mota – Coordenadoria ecumênica de serviços – CESE

JOSÉ ANTÔNIO MORONI

“Na atual conjuntura, o PAD assume um papel mais importante do que teve até agora. Estamos numa conjuntura de retrocessos aos direitos conquistados pela nossa luta, uma conjuntura onde o conservadorismo e o fundamentalismo religioso avança significativamente. Pensar estratégias comuns com parceiros do norte é fundamental para a denúncia internacional. O PAD é o espaço estratégico para este diálogo e a construção dessas estratégias” José Antônio Moroni – INESC

TCHENNA MASO

“Pensar a superação das problemáticas do modelo de desenvolvimento impostas ao Sul Global que levem a caminhos de superação da dependência, exige o comprometimento com o horizonte crítico advindo da práxis das lutas dos movimentos no Brasil. Nesse sentido o diálogo entre cooperadores e cooperados, a possibilidade de intercambio de experiencias, e a construção de uma intencionalidade política de agendas e pautas, é um caminho que o PAD tem trilhado de fundamental importância para chegarmos num “outro mundo possível”, no qual a cooperação posso se tornar a solidariedade entre iguais, num mundo mais justo e equânime” Tchenna Maso – Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB

MATHIAS

“O PAD é um espaço de intercâmbio e diálogo bem enriquecedor entre os parceiros da sociedade civil brasileira e as agências europeias para um diálogo aberto e crítico de análises em conjunto e com ações concretas para avançarmos nos desafios enfrentados pela sociedade civil no Brasil. O valor agregado desta rede e a dinâmica aberta entre parceiros ecumênicos com as organizações e os movimentos sociais. Para tal encontros elogiamos a forma de contato e o diálogo permanente” Mathias.Fernsebner – Brot für die Welt

VICENTE PUHL

“Vivemos um contexto de fortalecimento do conservadorismo da sociedade brasileira e os efeitos imediatos são os retrocessos em todas as formas de direitos, sociais, políticos, ambientais e econômicos, construídos com muita luta social nas últimas três décadas. Ter o PAD – Processo de Articulação e Diálogo fortalecido é fundamental para a sociedade civil resistir e avançar na construção de uma sociedade mais sustentável”. Vicente Puhl – HEKS-EPER

AGÊNCIAS

PARCEIROS